A colmeia em que vivemos

abelha2

Há algo fascinante na vida das abelhas que pode nos ensinar muito. Elas não vivem para si, independentes, cada uma buscando seu próprio interesse. Elas vivem juntas, trabalham juntas, lutam contra os mesmos inimigos e tem o mesmo propósito de vida.

Elas dependem umas das outras, e é nisso que está a sua força. Uma abelha sozinha não seria nada.

Por outro lado, é inquestionável a potência, harmonia e a beleza da vida em uma colmeia. A ordem decorrente de cada indivíduo ao executar sua função com sensatez, pelo bem comum, é algo motivador.

Eis aí a sabedoria da natureza, que confronta o individualismo da sociedade moderna (com seus tablets, celulares e fones de ouvido) e convida ao coletivo, à construção do bem comum.

O ser humano, como parte da natureza, traz no seu íntimo esse ideal de sociedade tão marcante nas abelhas. Em nós, brasileiros, esteve hibernando por muito tempo. Mas é uma força que começa a despertar em manifestações, em equipes, em cada um…

A força das abelhas é inspiradora. A força do povo nas ruas é inspiradora. A força de uma rede em sintonia é inspiradora. Essa é minha inspiração!