Conheça os sintomas do câncer de mama e previna-se!

Conheça os sintomas do câncer de mama e previna-se!

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns entre as mulheres. A doença é caracterizada pelo crescimento desordenado das células da mama, que adquirem a capacidade de multiplicação e se tornam agressivas ao corpo, levando à formação de tumores malignos.

Em qualquer caso, quanto antes o diagnóstico for feito, maiores as chances de cura da doença. Por isso, é importante conhecer os sintomas do câncer de mama e realizar exames periódicos para detectar ou descartar a existência de tumores na região.

Quer saber mais sobre a doença e quais seus principais sintomas? Então confira o nosso post e tire as suas dúvidas!

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama é resultado do crescimento e multiplicação anormal e desordenada das células da mama, no ducto ou nos glóbulos mamários, que podem produzir um tumor maligno — o câncer.

É importante saber, também, que existem nódulos que se formam nas mamas que não são cânceres, pelo fato de serem benignos. Os tumores benignos também apresentam crescimento anormal, mas não se espalham pela mama e nem constituem uma ameaça à vida.

Quais são os tipos e estágios do câncer de mama?

A doença é subdividida em vários tipos, veja a seguir:

  • Carcinoma tubular;

  • Carcinoma medular;

  • Carcinoma mucinoso;

  • Carcinoma papilífero;

  • Carcinoma cribiforme;

  • In Situe Invasor.

Com relação aos estágios, a separação feita é a seguinte:

Estágio 00

Tumores pequenos e ainda não se espalharam.

Estágio 01

Tumores maiores (até 2cm) e podem ter se espalhado para os gânglios linfáticos.

Estágio 02

A doença invadiu a região e o tamanho do tumor gira entre 2cm e 5cm.

Estágio 03

A doença invadiu a região e o tamanho do tumor ultrapassa os 5cm.

Estágio 04

A doença progrediu e espalhou para outras partes do corpo.

Se você perceber alguma anormalidade nos seus seios, lembre-se de que qualquer alteração deve ser avaliada por um profissional da saúde, uma vez que só ele é capaz de determinar se o tumor é benigno ou maligno e qual o estágio da doença.

Quais são os fatores de risco?

Os fatores de risco são variáveis e podem elevar as chances de manifestação da doença, mas é importante se ter em mente que eles, por si só, não causam a doença. Pode ser que haja mulheres que se enquadrem em vários dos fatores de risco e nunca desenvolvam o câncer, e também podem existir mulheres que apresentam poucos fatores de risco, mas desenvolvam a doença.

Veja quais são os principais fatores de risco:

Gênero e idade

A doença se desenvolve, sobretudo, em mulheres, e o risco se eleva à medida que elas envelhecem.

Fatores genéticos

O risco aumenta entre mulheres com parentes de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) que já tiveram a doença, e mulheres brancas têm mais chances de desenvolvê-la do que as negras.

Fatores comportamentais

Estudos sugerem que o uso de álcool, o tabagismo e a obesidade podem elevar o risco do surgimento do câncer de mama.

Atividade física

Evidências demonstram que o exercício físico pode reduzir o risco do aparecimento da doença.

Alimentação

O consumo de certos alimentos, sobretudo os gordurosos, pode elevar o risco.

Quais são os sintomas do câncer de mama?

Toda mulher deve conhecer os sintomas do câncer de mama e, sempre que detectada alguma anormalidade, ela deve proceder à investigação médica do sintoma.

  • Inchaço em alguma parte do seio;

  • Nódulo ou caroço na mama;

  • Dor ou inversão do mamilo;

  • Vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele da mama;

  • Inchaço ou nódulos nas axilas;

  • Secreção pelos mamilos, sobretudo sangue.

Uma ótima dica para monitorar a saúde e identificar possíveis alterações na mama é saber como realizar o autoexame, que é bem simples — a frequência ideal é uma vez por mês. Além do autoexame, é recomendável visitar periodicamente o seu médico.

A melhor forma de lutar contra uma doença é a prevenção. Portanto, fique atento aos fatores de risco e tente reduzi-los ou eliminá-los da sua vida. Além disso, quanto antes a doença for descoberta, maiores são as chances de cura.

Gostou deste artigo? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos informativos como este!

 Créditos da imagem: bit.ly/584.ref