De líder para líder

“A vontade de fazer, tem que ser maior do que a vontade de chegar lá” – Bernardinho

Entre os dias 25 e 28 de outubro pude participar de mais uma incrível experiência proporcionada pela Associação Brasileira de Franchising, a 12ª edição da Convenção da ABF que ocorreu na Ilha de Comandatuba (BA).Neste encontro pude perceber a maturidade desta Associação, que já é a maior do mundo em números de associados. É impressionante como a entidade consegue reunir, ano após ano, as maiores redes do Brasil.

As convenções da ABF são sempre muito ricas: trocamos experiências, ampliamos nossa rede de relacionamentos, discutimos melhores práticas para o franchising e nos inspiramos para aplicarmos melhorias com os novos conhecimentos absorvidos.

Na 12ª edição do evento, participei de mesas redondas que abordaram assuntos relevantes ao nosso dia a dia, com especialistas que trouxeram para o evento experiências na gestão de negócios, empreendedorismo, sustentabilidade, dentre outros temas. Grandes nomes no âmbito econômico e empresarial, como Wiliam Waack e Roberto Justos, deixaram também informações de grande relevância, mas, sem dúvida alguma, o ponto alto do encontro foi a palestra-  a melhor que já vi na vida, diga-se de passagem- do técnico da seleção brasileira de vôlei masculino, Bernardo Rocha de Rezende, o Bernardinho, que falou sobre excelência, conquistas e liderança.

O grande técnico, e economista por formação, iniciou a plenária abordando sobre a importância da formação de um bom time de profissionais para o sucesso do negócio: ‘Precisamos de um time que jogue defendendo uma causa. Comprometimento e força de vontade são importantes em qualquer equipe, em qualquer setor de atuação’, afirmou.

Para ilustrar as preocupações cotidianas na gestão de uma operação e apresentar soluções, Bernadinho utilizou diversas situações vividas por ele, ao longo de sua carreira no esporte e evidenciou, também, sobre a necessidade contínua de se buscar eficiência, além de abordar sobre o papel do líder em um negócio.

 Segundo ele, para que o negócio prospere, cada um deve assumir a sua responsabilidade e, assim como nas quadras, os líderes precisam ter uma relação de parceria para liberar o potencial das pessoas de forma a maximizar as suas potencialidades e alcançar o sucesso.

“’Muita determinação associada ao talento é igual a ídolos ou marcas. Neste sentido está o papel do líder, que é extrair da sua equipe, sempre o melhor” – Bernardinho