Se VOCÊ fosse uma marca, qual seria?

Se VOCÊ fosse uma marca, qual seria?

A simples menção a logomarca que traz um cavalo negro sobre um fundo amarelo é suficiente para identificar uma das montadoras de veículos mais icônicas do planeta. Não é preciso entender nada de carros esportivos para saber de quem estou falando, e a analogia também se encaixa perfeitamente no universo corporativo quando transformamos marcas em referencia do estilo de vida que elas vendem. Nesse caso, o estilo é normalmente representado por pessoas que fazem parte da história de sucesso da empresa. Isso porque você vende melhor aquilo que já está na sua essência. Ou seja, para trabalhar em algumas empresas, é preciso ter um determinado estilo para vender o mesmo conceito. Portanto, sua “marca pessoal” você não faz, você preserva.  

Na Disney buscam pessoas alegres com sorrisos expontâneos e investem em treinamento. Na Harley, o time gosta de moto e são pessoas que valorizam a liberdade. Na Chilli Beans, um estilo mais alternativo que conversa com os jovens, seu público alvo. Mas, só o estilo não é o suficiente para ter uma marca pessoal forte. É preciso ter conteúdo multidisciplinar e competência.

Continue acompanhando o meu post de hoje e conheça dicas valiosas para cuidar bem da sua marca pessoal!

Por que cuidar da sua marca pessoal?

Já vi muitos casos em que o profissional tem competências de sobra e uma imagem ruim, equivocada ou simplesmente mal trabalhada, o que frequentemente resulta em poucas oportunidades de trabalho.

Imagem é tudo?  Certamente que não, mas o ponto é: não é possível esperar bons resultados sem investir na própria imagem. Todos os grandes realizadores, em determinado momento de suas trajetórias, tornaram-se marcas tão conhecidas quanto os produtos que desenvolveram: Steve Jobs, Oprah Winfrey, Mark Zuckerberg, Bill Gates, Abílio Diniz etc.

Até mesmo Donald Trump, o megaempresário que atrai tanta atenção da mídia, possui uma imagem coerente, ainda que repleta de controvérsias e posicionamentos questionáveis: Trump é consistentemente polêmico!

Se você é empreendedor ou empreendedora, quanto mais cedo compreender que sua imagem reflete diretamente no seu negócio, melhor. E do mesmo modo, profissionais em busca de melhores posições na carreira devem dar total atenção a este tópico. Na verdade, qualquer pessoa que planeja destacar-se em seu campo de atuação deve concentrar-se no aprimoramento de sua marca pessoal.

Como criar e desenvolver sua marca pessoal

Este é um projeto de longo prazo, não há outro caminho. A imagem do profissional é construída e caminha junto com o autoconhecimento, passo a passo, por meio de uma série de ações interligadas que trazem ganhos cumulativos: a cada dia sua marca pessoal tenderá a ficar mais forte, desde que você proceda da maneira correta.

Evite a autossabotagem

Até pouco tempo, consolidar a marca pessoal era uma tarefa exaustiva, pois era preciso investir tempo e recursos na ampliação da base de contatos, o que ocorria lentamente, à medida que o currículo e a experiência cresciam. Com a ascensão e popularização das redes sociais, surgiram plataformas naturais para a promoção e divulgação ampla e instantânea dos perfis de trabalho.

Nesse contexto, cuidar bem da própria imagem nas redes sociais é obrigatório: evitar discussões, selecionar com sabedoria os conteúdos que se quer postar, entender até que ponto a vida pessoal pode ser compartilhada, tudo isso conta. Muitas chances de emprego terminam antes mesmo de começar, pois os entrevistadores desistem quando percebem equívocos graves e públicos na internet.

Identifique seus pontos fortes e fracos

Você já descobriu quais são seus talentos? Concentre-se neles e procure extrair o melhor, pois esse será seu diferencial competitivo. Isso não quer dizer que você não deva procurar meios de melhorar suas deficiências, mas não são elas que farão com que você se destaque. Encontre o que te faz único e trabalhe a cada dia para tornar-se ainda mais forte.

Pense em você como seu melhor projeto

Quais são seus planos? Você tem metas a alcançar e já pensou em todos os meios necessários para chegar lá? Sem um rumo definido fica mais difícil construir e consolidar a marca pessoal. Comece por estabelecer quais são suas prioridades pessoais e profissionais, de modo que possa haver harmonia entre elas.

Faça networking

Nossas redes de conexões é que nos tornam poderosos. Procure conhecer outros profissionais, frequente eventos importantes, faça perguntas e troque experiências. Também vale a pena envolver-se em projetos que não necessariamente trarão dinheiro no curto prazo, mas mostrarão que você tem interesse genuíno em desenvolver-se ampliar suas capacidades.

Gosta de escrever? Que tal criar um blog como este e compartilhar sua experiência e conhecimento? Você gosta de falar e se comunica bem? Convide alguns amigos e amigas e dê início a um podcast sobre o assunto que todos dominam. Quando você menos esperar, esse capital intangível poderá ser revertido a ser favor.

Seja consistente e autêntico

Sua marca pessoal precisa ser real, antes de qualquer outra coisa. Não desenvolva a imagem de alguém que você não é apenas para parecer mais talentoso ou popular. Invista em suas qualidades, mantenha o foco nas áreas que são do seu interesse e demonstre que é capaz de posicionar-se. “Atirar para todos os lados” é inútil e passa a impressão de alguém que está desesperado por atenção.

Veja e seja visto

Não passe duas semanas longe das redes sociais. Procure postar conteúdos relevantes, pesquisa temas ligados à sua área e esteja sempre bem informado. Participe de congressos, palestras e workshops, de forma que sua marca pessoal esteja sempre associada a realizações positivas. Exponha-se para que as pessoas certas possam encontrá-lo!

Seguindo essas dicas, sua marca pessoal será sinônimo de sucesso! Gostou do artigo? Curta a minha página no Facebook e saiba mais sobre minha marca pessoal.